sábado, 23 de agosto de 2008

Vida é fazer todo sonho brilhar (João Bosco)

"Devo ser de fato tão antiquado, que venho sendo definido em algumas instâncias como 'ilustrado', devidamente entre aspas, e como alguém preso a uma visão de tipo teleológico da história e do pensamento.
Devo esclarecer que, ao contrário do que se poderia pensar, considero esta restrição um elogio.
Ela quer dizer que me mantenho fiel à tradição do humanismo ocidental definida a partir do século XVIII, segundo a qual o homem é um ser capaz de aperfeiçoamento, e que a sociedade pode e deve definir metas para melhorar as condições sociais e econômicas, tendo como horizonte a conquista do máximo possível de igualdade social e econômica e de harmonia nas relações.
O tempo presente parece duvidar e mesmo negar essa possibilidade, e há em geral pouca fé nas utopias. Mas o que importa não é que os alvos ideais sejam ou não atingíveis concretamente na sua sonhada integridade.
O essencial é que nos disponhamos a agir como se pudéssemos alcançá-los, porque isso pode impedir ou ao menos atenuar o afloramento do que há de pior em nós e em nossa sociedade. E é o que favorece a introdução, mesmo parcial, mesmo insatisfatória, de medidas humanizadoras em meio a recuos e malogros.
Do contrário, poderíamos cair nas concepções negativistas, segundo as quais a existência é uma agitação aleatória em meio a trevas sem alvorada."
Antônio Cândido (Prêmio Juca Pato de Intelectual do ano de 2007)

2 comentários:

The Scientist disse...

rapaz...
confesso que andava meio assim sem saber o que fazer.
mas eu acredito no que você diz.
é preciso fazer todo sonho brilhar!

miss predictable disse...

Adorei o blog,os textos...tudo!

Vou passar aqui sempre!;)
Beijos,
Morena